"Só uso a palavra para compor meus silêncios"

Manoel de Barros


Eu só tenho usado o silêncio para compor os meus gritos...

Este é pura e simplesmente um espaço na mídia para divulgar meus poemas, contos, crônicas e artigos de opinião, bem como dos meus mestres e mestras da Filosofia e ARTES de um modo geral. Amo ESCREVER, acima de todas as coisas, então faço desse espaço o meu "grito de alerta", sem maiores pretensões...mas sempre com muitas provocações, pois fazem-se necessárias para que não sigamos mansos a trilha da manada direto para o matadouro... Apesar de todas as decepções, eu AINDA creio e amo o ser humano, então vamos lutar todos juntos em UNICIDADE, AMOR E FRATERNIDADE.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

POR QUE ESCREVO?!!!

Não escrevo para empurrar o tempo.
Escrevo para que o tempo me empurre no abismo das palavras.
Morrer pode ser insigne ou insignificante;
depende do defunto
apesar do fedor ser o mesmo.

A caixa é que muda a condição do fedor
e do substantivo que o carrega:
caixa-prego, féretro, rabecão
mausoléu que abrigam
nobres sarcófagos
ou gavetões no muro de indigentes...

Os mais estilizados preferem a pira funerária.

Eu, de minha parte,
prefiro Jim Morrison
viril e sensual
naquela calça de couro
que só nele ficava bela
bem colada ao corpo
cantando apenas para mim:
"light my fire".

-baby, light my fire, light my fire... oh yeah...!!!

Lou