"Só uso a palavra para compor meus silêncios"

Manoel de Barros


Eu só tenho usado o silêncio para compor os meus gritos...

Este é pura e simplesmente um espaço na mídia para divulgar meus poemas, contos, crônicas e artigos de opinião, bem como dos meus mestres e mestras da Filosofia e ARTES de um modo geral. Amo ESCREVER, acima de todas as coisas, então faço desse espaço o meu "grito de alerta", sem maiores pretensões...mas sempre com muitas provocações, pois fazem-se necessárias para que não sigamos mansos a trilha da manada direto para o matadouro... Apesar de todas as decepções, eu AINDA creio e amo o ser humano, então vamos lutar todos juntos em UNICIDADE, AMOR E FRATERNIDADE.

domingo, 15 de agosto de 2010

SABER-ME ÁRVORE...


NÃO SEI QUEM SOU.

MAS, SE SOUBESSE,
QUERIA SABER-ME ÁRVORE
TRONCOS RETORCIDOS
ABRIGAM MUITOS GALHOS E FOLHAS
FABRICA SEU PRÓPRIO ALIMENTO
PRECISA APENAS DA NATUREZA PARA EXISTIR.
ÁGUA, LUZ E TERRA...

NÃO PRECISA SER AMADA
COMPREENDIDA OU ACARINHADA
QUANDO PODADA VOLTA AINDA MAIS FORTE
REVIGORADA,

EXUBERANTE ABRIGO PARA OS NINHOS DOS PÁSSAROS

OFERECENDO SEUS FRUTOS AOS QUE TÊM FOME DE VIDA
OXIGÊNIO AOS QUE ESTÃO SEM AR, SEM LUGAR
SUFOCADOS, ESQUECIDOS DO QUE É AMAR
E SEREM AMADOS.
SER SOMBRA PARA OS QUE ESTÃO TÃO CANSADOS
DESABRIGADOS

INSANO CONFLITO
SER O QUE SOU OU O QUE ESPERAM QUE EU SEJA?

AH, EU DESISTO.

E O MELHOR DE SER ÁRVORE
É QUE ATÉ OS EXCREMENTOS DO MUNDO
AINDA LHE SERVEM DE ALIMENTO.

Lou Albergaria in

O COGUMELO QUE NASCE NA BOSTA DA VACA PROFANA