"Só uso a palavra para compor meus silêncios"

Manoel de Barros


Eu só tenho usado o silêncio para compor os meus gritos...

Este é pura e simplesmente um espaço na mídia para divulgar meus poemas, contos, crônicas e artigos de opinião, bem como dos meus mestres e mestras da Filosofia e ARTES de um modo geral. Amo ESCREVER, acima de todas as coisas, então faço desse espaço o meu "grito de alerta", sem maiores pretensões...mas sempre com muitas provocações, pois fazem-se necessárias para que não sigamos mansos a trilha da manada direto para o matadouro... Apesar de todas as decepções, eu AINDA creio e amo o ser humano, então vamos lutar todos juntos em UNICIDADE, AMOR E FRATERNIDADE.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

O PAU por FERNANDA YOUNG


"O nono romance da escritora, roteirista e apresentadora de tv, Fernanda Young, já chama atenção pelo título e pela foto na capa. Intitulado de O Pau, o livro traz através da personagem Adriana toda a relação feminina e também de toda a sociedade com o símbolo máximo da masculinidade, o pau. Através das experiências vividas pela personagem ela questiona esse culto e essa necessidade de afirmação masculina pelo seu órgão genital. Com os pensamentos e argumentos de Adriana fica evidente a relação conflitante entre homens e mulheres. Do quanto uma mulher pode ficar cega por um homem ou quanto um homem é capaz de pensar só com a cabeça de baixo muitas vezes. Todos esses mitos e verdades que envolvem um relacionamento na nossa sociedade moderna.
Fernanda Young consegue traduzir e mapeiar de certa maneira essas tribos e estilos de pessoas que acham e vivem uma vida toda baseada na cultura do belo, da banalização do sexo e da sexualidade. E entre passagens engraçadas e dramáticas fica evidente temas importantes como o preconceito de relacionamentos com grandes diferenças de idade, o aborto, inseguranças com a própria beleza, com a vida e principalmente com o amor. Fica claro no livro que cada vez mais nos julgamos modernos, pra frente e sem encanações com nada, mas no fim estamos todos no mesmo barco furado, na vala comum, cheio de incertezas e inseguranças e em busca de algo cada vez mais raro nos dias de hoje. De achar o príncipe encantado, a garota ideal, que na verdade pode existir ou não. Questões que passam pela confiança, respeito e amor sem as amarras que o mundo moderno nos oferece de bandeja.
Não chega a ser o melhor livro da Fernanda, como por exemplo Vergonha dos pés mas é um livro onde tanto homens e mulheres de alguma maneira vão se ver ou vão ver amigos, parentes, conhecidos e desconhecidos de alguma maneira retratados ali.


Tiago Mistura é radialista e webdesigner. Já fez parte da banda Stella Art (www.myspace.com/stellaart1), que tocava músicas próprias voltadas ao pop rock e hoje escreve para o Mais Palavras (link na barra lateral).