"Só uso a palavra para compor meus silêncios"

Manoel de Barros


Eu só tenho usado o silêncio para compor os meus gritos...

Este é pura e simplesmente um espaço na mídia para divulgar meus poemas, contos, crônicas e artigos de opinião, bem como dos meus mestres e mestras da Filosofia e ARTES de um modo geral. Amo ESCREVER, acima de todas as coisas, então faço desse espaço o meu "grito de alerta", sem maiores pretensões...mas sempre com muitas provocações, pois fazem-se necessárias para que não sigamos mansos a trilha da manada direto para o matadouro... Apesar de todas as decepções, eu AINDA creio e amo o ser humano, então vamos lutar todos juntos em UNICIDADE, AMOR E FRATERNIDADE.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

DO SILÊNCIO...


Quero tanto
com poucas palavras
Nenhuma palavra
fazer poesia
de silêncio
Escrever no vento
letras fortes
feitas de pedras
lançá-las longe
jogar fora a inspiração
livrar-me da sina maldita
de ser poeta
desdita
A sina de ser Eu.

Eu quero ser Outra
Eu quero calar!


Pintura: Edvard Munch - O Grito

Sobre esse quadro Munch escreveu nas linhas de seu DIÁRIO:


"Passeava com dois amigos ao pôr-do-sol – o céu ficou de súbito vermelho-sangue – eu parei, exausto, e inclinei-me sobre a mureta– havia sangue e línguas de fogo sobre o azul escuro do fjord e sobre a cidade – os meus amigos continuaram, mas eu fiquei ali a tremer de ansiedade – e senti o grito infinito da Natureza."